Concentração x Produtividade – Parte III

Lendo tantas coisas sobre concentração nas últimas semanas, não pude deixar de me animar e praticar muitas dicas dadas por colegas, ou listadas em sites e blogs. Estou descobrindo, ainda, o que vai mais de acordo com meu perfil. Mas a conclusão a que cheguei é de que não adianta ter conhecimentos sobre técnicas de produtividade se não temos o principal: a autodisciplina.

Sim, é uma conclusão óbvia. Mas para quem perde a concentração com facilidade, é muito difícil mudar. Afinal, é uma questão de mudar o processo mental de uma vida toda. Estamos acostumados a fazer as coisas sempre do mesmo jeito e a encarar os problemas sempre da mesma maneira. Ainda que se tenha uma rotina mais flexível, encontramos nela um modo mais ou menos estável de lidar com as situações cotidianas.

O problema é que, muitas vezes, esse modo não é o ideal. Às vezes está mesmo muito longe de ser. É especialmente difícil para quem está em fase de transição de CLT para freelancer, ou para quem trabalhou muitos anos tendo que dar satisfação a chefes e coordenadores. Pois, convenhamos, não é fácil ser seu próprio chefe; saber quando dar a si mesmo um tapinha nas costas ou um belo puxão de orelha.

O negócio é começar a assumir nossas faltas para nós mesmos. Ninguém é perfeito, claro. Mas identificar e admitir para si mesmo as falhas é um ótimo passo para começar uma transformação profissional e, claro, pessoal.

É preciso encarar a autodisciplina como uma mudança de paradigmas. Buscá-la significa que estamos amadurecendo, evoluindo rumo àquilo que de melhor queremos ser. É difícil, é trabalho árduo, mas não é impossível.

Eu já dei meu primeiro passo. E você?

***
Esse artigo foi inspirado pelo blog de Tom Basson, em especial pelos artigos: 16 Tips to Simplify Your Life (and Increase Your Productivity) e Mastering the Art of Self Discipline
Anúncios

Tags:, , , ,

6 responses to “Concentração x Produtividade – Parte III”

  1. Adriana de Araujo Sobota says :

    Olá Lorena, parabéns pelo material. Este assunto deveria ser parte da formação acadêmica nas faculdades de tradução. Muito se fala de ferramentas, TMs, fontes de pesquisa, mas eu acho que a administração, organização é muito negligenciada.
    Eu percebi que a desorganização e a falta de disciplina são iguaizinhas a qualquer outro vício. Como ex-fumante, percebo que o mecanismo é exatamente o mesmo.
    As coisas por aqui parecem estar tomando um rumo diferente, estamos conseguindo domar nossa maestria na arte da procrastinação.
    Espero que os “principiantes” e os “continuantes” aproveitem muito suas dicas e consigam ter tempo para fazer as coisas que teimamos fazer enquanto deveríamos estar trabalhando, afinal, maior produtividade é igual a mais dinheiro e mais tempo livre. Simples assim!
    Beijos!

    • Lorena Leandro says :

      Dri, que gostoso receber comentário seu 🙂

      Pois é, a faculdade às vezes deixa o aluno numa redoma, esquece que existe um mercado lá fora com muitas exigências que vão além das teorias e técnicas de tradução.
      E, realmente, procrastinação é um vício difícil de se livrar. Como eu disse, a gente faz sempre as coisas do mesmo jeito e fica condicionado. Como é complicado mudar a mentalidade, né?
      Mas, lá vamos nós colocar as dicas em ação para ter uma vida pessoal e profissional melhor!

      Super beijo, amiga!

  2. sheilagomes1 says :

    Muito boa a série Lorena, apareceram vários pontos legais tanto para a reflexão como a prática. Já a autodisciplina sempre foi um problema pra mim: mesmo quando ainda trabalhava como CLT. Mesmo com prazos e horários e colegas que dependiam do meu trabalho, eu fazia tudo que é malabarismo pra tentar manter a concentração e cumprir o prazo. No fim, descobri que para mim, rotina não funciona: se num dia algo me fazia produzir montes, no outro já dava um jeito de me auto-sabotar. Aí meu método hoje é olhar ao redor e ver o que o dia traz, e conforme meu humor e tarefas, vou elencando prioridades, entre elas meu bem-estar (lindo né…claro que nem sempre é assim naqueles dias de prazos insanos, mas sempre que é possível é o que eu faço). Os amigos ajudam bastante, trocar ideias e descobrir coisas novas sempre me deixa pra cima e ajudar a tocar adiante (e manter o olho nos controles financeiros também!). Mas horário de entrada e saída não tem jeito!

    • Lorena Leandro says :

      Sheila, é verdade, também sou um pouco assim. Minha produção depende muito do dia. Ainda não achei uma constância, e quando produzo super bem num dia, pode ter certeza de que o outro não será igual! Por isso todas essas tentativas de me enquadrar em algum método para melhorar a produção e não ficar nessa montanha russa!
      Beijos!

  3. Isis S. says :

    Seu blog está sendo muito elucidativo para mim, Lorena! Parabéns pela iniciativa!

Contribua para a discussão

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: