Mês do Tradutor: O que podemos aprender com São Jerônimo?

No dia 30 de setembro comemora-se o Dia do Tradutor. Como singela homenagem aos colegas tradutores e visitantes do blog, falo um pouco sobre nosso padroeiro, São Jerônimo. Espero que possamos nos inspirar com seu exemplo e nos espelhar neste homem que dedicou a vida à árdua tarefa de traduzir os textos sagrados e, assim, a diminuir barreiras entre os povos.

O que podemos aprender com a vida e a obra de São Jerônimo:


Nunca parar de estudar e sempre aprender com os mais experientes

Em Roma, São Jerônimo dedicou-se a estudar gramática, retórica e filosofia. Formou uma grande biblioteca particular por conta de seu amor pelos clássicos, copiando à mão as obras que não podia adquirir. Também fez uma jornada de estudos, passando pela Gália, por Treveris, pela Grécia e por algumas cidades do Oriente Médio. Mais tarde, com 30 anos, dirigiu-se a Constantinopla para aprender com São Gregório Nanzianzeno, considerado “O Teólogo” por sua erudição.

→ Ninguém consegue se aperfeiçoar profissionalmente sem se dedicar aos estudos. Na tradução, eles envolvem muitas leituras, pesquisas e o constante aprimoramento dos conhecimentos previamente adquiridos. Podemos, ainda, nos mirar nos exemplos e experiências de outros profissionais. Basta que tenhamos a vontade e a humildade para ouvi-los e aprender com eles. É importante ter em mente que não importa os anos de experiência acumulados: há sempre mais que podemos aprender.

Solidão, sacrifício e recompensa

No Oriente Médio, São Jerônimo viveu alguns anos isolado e aproveitou para aprender a língua hebraica, tendo como professor um judeu convertido. “As fadigas que isto me causou e os esforços que me custaram, só Deus sabe. Quantas vezes desanimei e quantas voltei atrás e tornei a começar pelo desejo de saber; sei-o eu que passei por isso, e sabem-no também os que viviam na minha companhia. Agora dou graças ao Senhor, pois que colho os saborosos frutos das raízes amargas dos estudos”.

Por mais que amemos nossa ocupação, ela não é feita apenas de bons momentos. Para colher as recompensas é preciso sacrificar-se no plantio. Perseverança, sacrifício, trabalho suado fazem parte do processo. E, em especial, a solidão tão característica do trabalho do tradutor. Por mais que hoje essa solidão tenha sido atenuada pela internet e pelo contato muito mais direto com nossos pares e clientes, o trabalho de traduzir em si envolve somente o tradutor e o texto. É uma solidão por vezes boa, por vezes assustadora: daí a luta em saber lidar com ela também.

Com a experiência profissional e pessoal, ajudar aos outros

Diz um dos textos em relação a São Jerônimo: “Todos acorriam a ele, e cada qual procurava ganhar-lhe a vontade: uns louvavam sua santidade, outros a doutrina, outros sua doçura e trato suave e benigno, e finalmente todos tinham postos os olhos nele como em um espelho de toda virtude, de penitência, e oráculo de sabedoria”.

Saber aproveitar a própria bagagem para ajudar a formar a bagagem de outros é, muitas vezes, caminho natural para alguns profissionais. É bonito que seja feito sem falsa modéstia, sem arrogância e com uma satisfação verdadeira e honesta em instruir quem pede ajuda. Além disso, guardar o conhecimento para si parece tornar esse mesmo conhecimento inexistente.

O amor pelo que fazemos eleva nosso empenho ao máximo

Mesmo doente e muito debilitado (e por isso ditava suas obras em vez de escrevê-las), a produção de São Jerônimo era espantosa. “Em três dias,  traduziu ele os livros de Salomão, e num só verteu para o latim o livro de Tobias que estava em caldaico. Em 15 dias ditou os comentários sobre São Mateus. Ao mesmo tempo escrevia apologias do Cristianismo contra os erros dos hereges do tempo, e refutação meticulosa de suas doutrinas”.

Não é o amor, unicamente, que move e torna bem-sucedido um profissional, mas é ele o responsável por grande parte de seu sucesso. É algo dentro de nós que nos impulsiona e encoraja, indo muito além dos estudos e leituras aos quais nos dedicamos durante a vida. É no amor pelo que fazemos que encontramos sentido no que fazemos.

A consciência de que, de certa maneira, o tradutor recria o texto original

Nas palavras de São Jerônimo: “Obrigas-me fazer de uma Obra antiga uma nova… da parte de quem deve por todos ser julgado, julgar ele mesmo os outros, querer mudar a língua de um velho e conduzir à infância o mundo já envelhecido. Qual, de fato, o douto e mesmo o indouto que, desde que tiver nas mãos um exemplar, depois de o haver percorrido apenas uma vez, vendo que se acha em desacordo com o que está habituado a ler, não se ponha imediatamente a clamar que eu sou um sacrílego, um falsário, porque terei tido a audácia de acrescentar, substituir, corrigir alguma coisa nos antigos livros?”

Muitos consideram essa a prova de que as traduções da Bíblia feitas por São Jerônimo são traduções corrompidas. Porém, analisando como profissionais da tradução, parece claro que ele se refere às dificuldades de sua tarefa tradutória e tudo o que elas implicam.

O tradutor precisa ser muito mais que simples tradutor

“De cultura enciclopédica, foi escritor, filósofo, teólogo, retórico, gramático, dialético, historiador, exegeta e doutor como ninguém, nas Sagradas Escrituras.”

O que é o trabalho do tradutor sem conhecimento, sem leitura, sem dedicação aos assuntos objetos de suas traduções? É devotamento para uma vida toda, como bem mostra o belo exemplo de nosso padroeiro.

Fontes:
http://www.lepanto.com.br/dados/HagJer.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Jer%C3%B3nimo_de_Str%C3%ADdon
http://www.franciscanos.org.br/carisma/artigos/saojeronimo.php
Anúncios

Tags:, , , , , , , ,

3 responses to “Mês do Tradutor: O que podemos aprender com São Jerônimo?”

  1. Martha Gouveia da Cruz says :

    Lorena querida,

    Mais uma vez parabenizo-a por seus textos!
    Quem vê essa sua carinha linda de menina não imagina quanta sabedoria e sensibilidade podem surgir de você, como as grafadas no texto acima.
    Muito linda a sua homenagem, cheia de grandes verdades.
    Receba meu abraço fraterno,

    Martha

    • Lorena Leandro says :

      Martha, você como sempre me incentivando com palavras tão carinhosas! Mais uma vez, obrigada 🙂

Contribua para a discussão

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: